Saúde

DOENÇAS CRÔNICAS x EXERCÍCIOS

Depositphotos_AndreyPopov
Depositphotos_AndreyPopov

… ALZHEIMER   –  ARTRITE  –  DPOC (doença pulmonar obstrutiva crônica) 

DIABETES TIPO2 –  CORAÇÃO  – OSTEOPOROSE  –  DOR CRÔNICA… 

 

Em todas idades quase sempre é possível praticar alguma atividade física, mesmo para quem tem problemas de saúde que não sejam impeditivos. 

Pessoas com problemas cardíacos, artrite, dor crônica, pressão alta ou diabetes podem se beneficiar ao realizar pequenas caminhadas, andar de bicicleta, natação, ginástica com aparelhos, jardinagem, … São atividades que devem ser feitas com segurança, aumentando lentamente a intensidade. 

Consultar o médico antes de iniciar qualquer atividade física é imprescindível, pois ele irá avaliar as condições de saúde e verificar quais atividades serão possíveis de praticar. 

 

Retardando o Alzheimer e outras … 

Pesquisadores estão avaliando o benefício da prática de exercícios  para retardar o comprometimento cognitivo leve (CCL*),  bem como como  para melhorar a função cerebral daqueles  com  risco de desenvolver a doença de Alzheimer.  

 * Comprometimento Cognitivo Leve (CCL) é a expressão usada para explicar   a alteração entre compreensão normal e demência 

 Os mais idosos com CCL podem ser capazes de praticar, com segurança, exercícios mais vigorosos, semelhantes aos que não foram atingidos, desde que outros problemas de saúde não interfiram. 

Ser ativo, praticar exercícios, pode ajudar pessoas com Alzheimer ou outra alienação a se sentirem melhor, contribuir para   manter o peso saudável e induzir hábitos regulares de higiene e sono.  

Lembrando o cuidador de que será mais prazeroso fazer os exercícios juntos. 

Depositphotos_aletia
Depositphotos_aletia

PERDAS COGNITIVAS X EXERCÍCIOS 

Algumasugestões para cuidadores de pessoas com perdas cognitivas 

– Faça uma caminhada juntos todos os dias. O exercício também é bom para o cuidador 

 Use vídeos de exercícios ou procure na internet um que estimule os mais idosos a se exercitarem. 

 Coloque música para dançar 

 Seja realista sobre a extensão da atividade. 
Vários “mini-treinos” curtos podem ser melhores. 

 Certifique-se de que o paciente usa roupas confortáveis e calçados apropriados: seguros e confortáveis 

 Água ou suco após os exercícios é imprescindível 

Mesmo quando o assistido tiver dificuldade para andar, ela pode ser capaz de: 

 Realizar tarefas simples em casa, como varrer e tirar o pó. 

 Exercícios em bicicleta ergométrica. 

– Manusear bolas ou balões de borracha macia, fazer alguns arremessos 

– Praticar alongamentos com faixas elásticas 

– Levantar pesos (que podem ser substituídos por itens como enlatados, conservas, …) 

 

ARTRITE X EXERCÍCIOS 

 

Para pessoas com artrite, os exercícios podem reduzir a dor e a rigidez nas articulações. Também pode ajudar a perder peso, o que reduz o estresse nas articulações. 

Exercícios de flexibilidade, como alongamento da parte superior e inferior do corpo e tai chi chuan,  podem ajudar a manter as articulações em movimento, aliviar a rigidez e proporcionar maior liberdade de movimento nas atividades diárias. 

Exercícios de fortalecimento, como elevações do braço acima da cabeça, ajudará a manter ou aumentar a força muscular para apoiar e proteger as articulações. 

Os exercícios de resistência tornam o coração e as artérias mais saudáveis e podem diminuir o inchaço em algumas articulações. Experimente atividades que não acarretem muito peso nas articulações, como natação e ciclismo. 

Para quem tem artrite, pode ser necessário evitar alguns tipos de atividade quando as articulações estiverem inchadas ou inflamadas.  

Quem tem dor em uma área específica da articulação, por exemplo, pode precisar se concentrar em outra área por um ou dois dias. 

 

DPOC X EXERCÍCIOS 

Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica 

Os portadores de DPOC devem consultar o médico para uma orientação, além de aprender alguns exercícios para ajudar braços e pernas a ficarem mais fortes e / ou exercícios respiratórios que fortaleçam os músculos da respiração. 

A reabilitação pulmonar ajuda a se exercitar e a controlar a doença com atividade física e acompanhamento, a se manter ativo e a realizar as tarefas do dia-a-dia. 

 

DIABETES tipo 2 X EXERCÍCIOS 

Para pessoas com diabetes, exercícios e atividades físicas são importantes para controlar a doença e se manter saudável por mais tempo. Caminhar e outras formas de exercícios diários quase sempre contribuem para melhorar os níveis de glicose em pessoas idosas com diabetes. Defina uma meta de ser mais ativo na maioria dos dias da semana e crie um plano para ser fisicamente ativo que se adapte à sua vida e que você possa seguir. Consulte o médico a respeito.  

 

Algumas etapas fáceis para ser mais ativo: 

 Alongue-se durante os intervalos comerciais de TV. 

 Ande enquanto fala ao telefone. 

 Caminhe mais estacionando um pouco mais longe ao fazer compras, a trabalho ou lazer 

 

 

SOBREPESO X EXERCÍCIOS 

Se você está acima do peso, não deixe que isso impeça de fazer atividades físicas. Se tiver dificuldade para se curvar ou se mover com facilidade, ou se sentir constrangimento, tente atividades diferentes, como caminhar, fazer exercícios aquáticos, dançar ou levantar pesos, para ver o que funciona melhor para você. Qualquer atividade que estimule o movimento – mesmo que inicialmente apenas por alguns minutos por dia – é um começo saudável. 

 

 

CORAÇÃO X EXERCÍCIOS 

O seu coração mantém seu corpo funcionando. Conforme você envelhece, algumas mudanças no coração e nos vasos sanguíneos são normais, mas outras são causadas por doenças.  

As escolhas que você pode fazer todos os dias, como uma alimentação saudável, manter um peso saudável e desejar ser mais ativo fisicamente, podem contribuir para a saúde do coração. Pessoas inativas têm quase duas vezes mais chances de desenvolver doenças cardíacas do que aquelas que são ativas. 

 A falta de atividade física pode agravar outros fatores de risco para doenças cardíacas, como níveis elevados de colesterol e triglicerídeos, hipertensão, diabetes e pré-diabetes, sobrepeso e obesidade. Ser fisicamente ativo é muito importante   para manter o coração saudável. Procure fazer pelo menos 150 minutos de atividade aeróbica de intensidade moderada por semana. 

“Há cerca de 5 anos, fiz uma cirurgia de revascularização tripla. Não fazia muito exercício antes da cirurgia, mas sabia que precisava ser mais ativo para me manter saudável, mas estava receoso. Comecei lenta e gradualmente a correr ao ar livre e na esteira na minha academia. Ser ativo me faz sentir melhor e é bom para o meu coração.” 

 

 

OSTEOPOROSE X EXERCÍCIOS 

Os exercícios de levantamento de peso, que o forçam a trabalhar contra a gravidade, como caminhar, correr ou dançar três a quatro vezes por semana, são os melhores para construir músculos e fortalecer os ossos. Experimente também alguns exercícios de fortalecimento e equilíbrio para ajudar a evitar quedas, que podem causar fratura óssea. Fazer esses exercícios é bom para a saúde óssea de pessoas com osteoporose e aquelas que desejam preveni-la 

 

 

DOR CRÔNICA X EXERCÍCIOS 

A maioria das pessoas que vivem com dor crônica pode se exercitar com segurança e isso pode ajudar no controle da dor. Na verdade, ficar inativo às vezes pode levar a um ciclo de mais dor e perda de função. 

 Converse com seu médico sobre quais exercícios / atividades são adequados para você. Cada tipo de exercício – resistência, força, equilíbrio e flexibilidade – tem seus próprios benefícios, então uma combinação pode ser melhor. 

Os exercícios ajudam  a manter um peso corporal saudável, o que pode aliviar as dores nos joelhos ou nos quadris. Ganhar peso extra pode retardar a cicatrização e piorar a dor. 

Lembre-se de ouvir seu corpo ao se exercitar e participar de atividades físicas. Evite exercícios excessivos nos “dias bons”. 

Se você sentir dor, inchaço ou inflamação em uma área articular específica, pode ser necessário se concentrar em outra área por um ou dois dias. Se algo não parecer certo ou doer, procure orientação médica imediatamente. 

Depositphotos_Wavebreakmedia
Depositphotos_Wavebreakmedia 

RECOMENDAÇÃO 

A dor raramente passa durante a noite. Converse com seu médico sobre quanto tempo pode demorar até que você se sinta melhor. À medida que a dor diminui, é provável que você se torne ainda mais ativo. 

 

 

FONTE: INSTITUTO NACIONAL DE ENVELHECIMENTO (NIA/USA). INTEGRA O INSTITUTO NACIONAL DE SAÚDE (USA). Conteúdo revisado em 3 de abril de 2020. Saiba mais:  https://www.nia.nih.gov/health/exercising-chronic-conditions?&utm_campaign=exercise-20201014#heart 

 

 

Matéria publicada no Guia da 3ª Idade nº 51