Nutrição

Brocojó

Brocojo----by-Marcio-Mol
Brocojo----by-Marcio-Mol

Iguaria típica do Santuário do Caraça 

Brocojo---by-Marcio-Mol
Brocojo—by-Marcio-Mol

O pão produzido na padaria do Santuário do Caraça  conquista os visitantes não só pelo sabor, mas por sua herança cultural e gastronômica da região do Caraça 

Destino certo para quem procura contato com a natureza e tranquilidade o Santuário do Caraça guarda muito mais que as suas belezas naturais e toda a sua riqueza histórica e cultural. As maravilhas gastronômicas são uma atração à parte para o turista e uma das iguarias que mais chama a atenção o Brocojó, pão produzido na cozinha do Caraça e que virou marca registrada do local, não só pelo sabor, mas também por sua herança cultural e gastronômica. 

Brocojó é uma receita que mistura farinha, muitos ovos e alguns segredos. De acordo com o gerente geral do Santuário do Caraça, Márcio Mol, o pão é uma adaptação do brioche francês, ajustada aos temperos e ingredientes da região.  

“O sabor incomparável, a casca crocante e o aspecto rústico são características marcantes do pão feito com fermentação totalmente natural. A iguaria atravessou gerações seguindo o mesmo modo de fazer de antigamente. Apesar de sua história vir do passado, o gostinho da tradição está sempre presente na padaria do Santuário”,  ele destaca . 

Segundo os registros, a riqueza gastronômica do Caraça se fez presente há mais de 200 anos. Por isso, para aproveitar os cereais mais comuns da região, a farinha virou uns dos principais ingredientes da cozinha do Santuário. Com produção própria, moída e peneirada na fazenda do complexo, o item compôs receitas que resultavam em pães, bolos e biscoitos para alimentação dos padres, seminaristas e alunos. Com o fim do colégio, esse conhecimento quase se desfez. 

 Mas, como os velhos hábitos e costumes nunca se perdem, estas delícias foram resgatadas em 2015, por meio do projeto “Primórdios da Culinária Mineira”, do Santuário do Caraça, em parceria com Senac MG,  que tem o objetivo de resgatar e dar novos usos a hábitos, técnicas e produtos alimentares dos primeiros habitantes de Minas Gerais, com foco no desenvolvimento regional. 

Em dias de festa, o Brocojó era assado com uma fava de feijão dentro, e então, usado para fazer um sorteio entre os oito alunos que dividiam cada “quadrado” da mesa coletiva. O aluno que saía com a fava se tornava o “rei do quadrado” e ganhava algumas vantagens com isso, como poder ser o primeiro a servir primeiro a refeição e até se sentar à mesa dos padres e professores. 

Além do Brocojó, o Santuário do Caraça também oferece aos seus visitantes outras receitas tradicionais e originais da casa como o Pudim de Gabinete, Pão de Ora-pro-nobis, além dos doces diversos, queijos e fermentados, incluindo o histórico Hidromel. 

O complexo funciona todos os dias da semana, das 8h às 17h para visitação e 24 horas para hospedagens previamente agendadas. 

Santuário do Caraça 

 Estrada do Caraça, km 9 – Entre os municípios de Catas Altas e Santa Bárbara  

Fácil acesso pelas rodovias BR 381 e MG 436, além do atraente acesso por trem (Estação Dois Irmãos – Barão de Cocais/MG)  

Horário para visitação: Todos os dias, das 8h às 17h. Valores: a partir de R$ 14,00 (em dias de semana)  

 www.santuariodocaraca.com.br. 

Reservas: centraldereservas@santuariodocaraca.com.br 

 

 

Matéria publicada na edição 52 do Guia da 3ª Idade