Saúde

ÁLCOOL GEL x DOENÇAS DA PELE

Photo by Gratsiela Toneva from FreeImages
Photo by Gratsiela Toneva from FreeImages

REDOBRANDO A PROTEÇÃO

A segunda onda do coronavírus chegou e é hora de redobrar os cuidados que já eram obrigatórios. Entre as principais recomendações da Organização Mundial da Saúde (OMS), está a higienização frequente das mãos por meio do álcool gel, que pode ressecar a pele. Além do ressecamento normal causado pela substância, a pele também pode apresentar coceira, descamação e até feridas.

Para ajudar prevenir essas doenças dermatológicas e minimizar desconfortos causados pelo álcool gel, a dermatologista e membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia (SDB), Dra. Nádia Bavoso, dá algumas sugestões:

⦁ Sempre que possível, higienize as mãos com água e sabonete, de preferência produtos que tenham componentes com mais hidratação e menos detergentes (sabonetes neutros). Esses produtos costumam ter o pH mais equilibrado para a pele sensível. Deixe o álcool para situações na rua e para higienizar as compras, por exemplo;
⦁ Use luvas sempre que for trabalhar com produtos de limpeza e até mesmo lavar a louça. O detergente é feito para tirar a gordura dos pratos, talheres, etc, mas também acaba tirando um pouco da proteção da pele das mãos. Se a região está ressecada, as chances de irritação são bem maiores;
⦁ Hidrate muito a região das mãos e braços (até perto do cotovelo). O álcool resseca, lavar excessivamente também pode ressecar e ainda tem o fator do clima que, em muitas regiões do Brasil, pode ser mais seco em determinadas épocas do ano. Prefira sempre cremes à base de água e emolientes como a uréia, o ácido hialurônico e o D-pantenol. Os produtos à base de óleo deixam a pele macia, mas não repõe água – e se a região já estiver irritada, pode piorar.

TioNegro14 do Pixabay 
TioNegro14 do Pixabay

Dica: besunte as mãos com hidratante e coloque suas luvas descartáveis ou reutilizáveis e deixe por 15 minutos antes de dormir.
Isso ajuda a intensificar a hidratação em um momento que a pele não será exposta e vai ficar algumas horas sem receber álcool ou água;
⦁ Use protetor solar diariamente e reaplique toda vez que lavar as mãos e for se expor ao sol, mesmo que seja por poucos minutos. Com a pele mais sensível, a exposição solar, mesmo que por poucos minutos, pode causar queimaduras na região. Além disso, vale ressaltar que o Câncer de Pele atinge cerca de 200 mil brasileiros por ano e a principal forma de prevenção é com o uso correto de protetor solar;
⦁ Faça uma esfoliação suave nas mãos uma vez por mês. Isso ajuda a renovar as células e deixar a pele mais saudável. Você pode usar produtos específicos para a mão ou seguir essa receitinha:

– Uma colher de sopa de aveia em flocos finos

– Uma colher de sopa de mel

– Misturar os ingredientes e aplicar sobre a pele fazendo movimentos leves.
Deixar agir por 15 minutos e enxaguar apenas com água.
O protetor solar deve ser aplicado em seguida.

“Essas dicas ajudam muito a prevenir o sofrimento da pele na região das mãos, uma área tão sensível. Mas vale reforçar que se a irritação, descamação ou feridas persistirem por mais de 15 dias, é importante buscar um Dermatologista de confiança para avaliação. Às vezes é preciso entrar com algum medicamento local para abreviar o desconforto. Mas isso só uma avaliação médica poderá definir. A automedicação não é uma opção”, conclui.
Dra. Nádia Bavoso-
Dermatologista, membro titular da Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD), formada pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), tem mestrado pela mesma instituição e faz parte do corpo docente da UNIFENAS (BH). É sócia da Clínica Eveline Bartels