Finanças

O seguro é a garantia da manutenção do patrimônio

© Shutter M
© Shutter M

O seguro começou séculos antes da era cristã com as caravanas de camelos que atravessavam os desertos do Oriente. Como alguns morriam na travessia, os comerciantes de camelo firmaram um acordo no qual pagariam pela substituição do camelo de quem o perdesse.
Surge o mutualismo, o DNA do seguro como conhecemos hoje.

Quase ao mesmo tempo os fenícios adotaram um principio de seguro. Seus barcos navegavam através dos mares Egeu e Mediterrâneo. “Existia um acordo que garantia a quem perdesse um navio a construção de outros pagos pelos “sobreviventes” da mesma viagem. De novo o mutualismo, seguro em estado bruto.

A Mongeral foi fundada em 1875 para atender ao servidor público civil e militar já no ano seguinte pagou seu primeiro benefício a um segurado. Os combatentes da Guerra do Paraguai (1870) foram segurados pela Mongeral. Em 1894 a seguradora começou o pagamento daquelas que seria a pensão mais longa da História do Brasil (74 anos). Por conta disso e da sua história em 1971 a empresa foi oficialmente reconhecida como a empresa precursora da previdência no Brasil.
4000 mil pensionistas da 1ª Guerra Mundial foram assistidos pela Mongeral.

Em 2009 a Mongeral uniu-se a gigante holandesa Aegon presente em mais de 20 países. A Aegon tem mais de 47.000.000 de clientes. Nasceu a Mongeral Aegon.

Com alguma pretensão tentei introduzir o conceito de seguro e a empresa pela qual visto a camisa. Abaixo deixo meus contatos para qualquer dúvida sobre Vida e Previdência.

Os Riscos Sociais

Os Seguros de Vida e Previdência Privada visam proteger o segurado dos três riscos sociais. São eles:

A Morte. Pode ser por doença ou acidental. Na realidade não existe Seguro de Vida e sim seguro de morte. O termo é forte e verdadeiro, mas de conotação negativa. Hoje se usa a expressão  proteção familiar. De sete anos para cá se tem pago o capital segurado para os beneficiários cujo titular da apólice tenha suicidado. Obedece-se uma carência de 2 anos e é considerada Morte A Qualquer Causa (100%)  e não Morte Acidental (200%).

Vale lembrar que Seguro não é Herança. Para herança convem capitalizar seus beneficiáros através de planos de previdência privada. (PGBLs, VGBLs).

Invalidez. Pode ser permanente ou temporária, por acidente ou por doença e total ou parcial. Há alguns seguros que contemplam doenças do trabalho como LER ( lesões por esforços repetitivos). Os seguros de invalidez encerram-se quando o beneficiário atinge  60 ou 70 anos de idade de acordo com cada Seguradora. Cessam as obrigações entre as partes. No Seguro de Invalidez Total e Parcial por Acidente há uma tabela. A perda do dedo mínimo por exemplo  implica no recebimento de 5 % do Capital Segurado progredindo até 100 %. DIT ( Diária de Invalidez por Temporária) serve para manter  os ganhos do segurado enquanto impedido por trabalhar seja por doença ou acidente. Há carência e franquia de 10 dias.

Sobrevivência. Todos aqueles que fazem o curso para tirar a licença corretor de seguros (SUSEP) entreolham-se e perguntam; “Que tipo  de risco social é a sobrevivência ?!

A resposta é simples: Velhice Desassistida. É o que vemos diariamente na mídia. Idosos que dependem da boa vontade de parentes uma vez que a INSS paga pouco ou mesmo não paga. Sucateamento da máquina estatal, corrupção e envelhecimento da população são os principais motivos da falência da Previdência Social. PGBLs e VGBLs não são produtos financeiros embora os bancos digam que sim. Protegem uma chaga social!

Coloco-me à disposição de todos, através dos contatos abaixo para esclarecimentos de qualquer dúvida.

Até a próxima!

José Amaral Lattes
SUSEP: 20.040535-3
tel. (11) 3188 4900 ξ (11) 999 66 3043
www.mongeralaegon.com
jalattes@hotmail.com
www.facebook.com.br/Mongeral Aegon
Fonte: TTS

Sobre o autor

Guia da 3a Idade

Tudo para 3a Idade em um único lugar. Saúde, Finanças, Geração 50+, Entretenimento e Diversão, Moradia, Agenda, Produtos, Guia de Viagem e muito mais.