Saúde

Calor também demanda cuidados com o coração

© pixabay/birgitw2
© pixabay/birgitw2

Com a chegada das altas temperaturas as artérias sofrem dilatação.

Por isso, hipertensos e cardiopatas que utilizam medicamentos vasodilatadores devem ficar atentos para evitar eventuais crises de pressão baixa, já que o problema pode desencadear não só tontura ou vista embaçada, mas também desmaios e até distúrbios nas artérias coronárias

Hipertensos e portadores de diferentes cardiopatias estão cientes de que, durante às épocas mais frias do ano, é preciso redobrar a atenção com a saúde cardíaca.

Porém, o que poucos deles sabem é que, com a chegada das altas temperaturas, neste fim de ano, o cuidado com o coração também é indispensável.

No calor é natural que as artérias fiquem mais dilatadas e ofereçam mais espaço para que o sangue circule entre elas. “Portanto, hipertensos e cardiopatas que utilizam medicamentos vasodilatadores devem ficar atentos para evitar sofrer eventuais crises de hipotensão, ou pressão baixa, como dizemos popularmente, já que o problema pode desencadear não só tontura ou vista embaçada, mas também desmaios e até distúrbios nas artérias coronárias”, explica o cardiologista e coordenador do Programa de Infarto Agudo do Miocárdio do HCor, Dr. Leopoldo Piegas.

Segundo o cardiologista do HCor, o primeiro passo para evitar a queda de pressão entre os pacientes que necessitam de vasodilatadores, é passar por uma reavaliação médica. “Pacientes idosos são mais sensíveis às mudanças de temperatura do que os mais jovens. Porém, uma consulta é fundamental em ambos os casos, já que, dependendo do problema, pessoas mais novas talvez precisem alterar o tipo de medicação que utilizam também”, explica. “Inclusive é muito importante ressaltar que qualquer mudança na ingestão de um determinado tipo de medicamento deve ser sempre prescrita por um médico, após a realização de todos os exames necessários e, nunca, por conta do próprio paciente”, orienta Dr. Piegas.

Cuidado com a desidratação

O Dr. Leopoldo Piegas acrescenta que um outro fator capaz de interferir na pressão arterial durante o calor é a desidratação. Ele explica que em dias quentes o corpo perde uma grande quantidade de líquido e sais minerais. Quando essas substâncias não dão as repostas adequadamente, o organismo tem dificuldade para funcionar, o que resulta em cansaço excessivo e também em queda de pressão.

“Para evitar esse quadro, é fundamental repor as perdas geradas pelo suor por meio da ingestão constante de água, sucos naturais e, com a devida orientação médica, bebidas isotônicas”, sugere. “Vale lembrar que o consumo de comida gordurosa também deve ser evitado nesta época do ano. Isso porque alimentos desse tipo contribuem para que o fluxo sanguíneo fique concentrado no sistema digestivo, o que pode gerar insuficiência circulatória em outras regiões do corpo e uma bela congestão”, alerta o cardiologista do HCor.

Sobre o autor

Guia da 3a Idade

Tudo para 3a Idade em um único lugar. Saúde, Finanças, Geração 50+, Entretenimento e Diversão, Moradia, Agenda, Produtos, Guia de Viagem e muito mais.